Muitos dos óleos de doTERRA são certificadas como orgânicas, outras são ECOCERT, e algumas não possuem certificação. A razão para isso é que nós compramos de tantos países em desenvolvimento. Os requisitos de certificação e a disponibilidade variam de país para país. Alguns países nem sequer têm uma oferta de certificação.
Quando dizemos que nossos óleos são melhores do que orgânicos, é porque temos a capacidade de ver até mesmo o menor componente em cada lote de óleo. Se houver algo no óleo essencial que não tenha sido produzido naturalmente na planta sem nada adicionado, ele será rejeitado. Isso é o que eu amo no nosso processo Certified Pure Tested Grade. Trabalhamos com os melhores cientistas analíticos do mundo – nada escapa deles!

O valor de um óleo essencial é derivado de mais do que sua química individual. Como essa química se desenvolve e até que ponto ela se desenvolve dentro da planta são outras considerações importantes. Além disso, os processos de fabricação podem, às vezes, aprimorar ou reduzir componentes químicos sutis, mas críticos, necessários para obter benefícios ideais para a saúde. Em frente doTERRA não é um único especialista ou processo que determina as melhores práticas de qualidade, mas sim um esforço cooperativo multifacetado que envolve especialistas trabalhando juntos para obter os melhores resultados possíveis. Esta abordagem única e distinta permite doTERRA consistentemente capaz de fornecer qualidade e benefícios incomparáveis ​​em nossos óleos essenciais.

Os componentes químicos de um óleo essencial são análogos aos macronutrientes dos alimentos. Assim como a composição de frutose (açúcar) de uma banana fornece energia instantânea e efeitos metabólicos específicos, um óleo essencial rico em limoneno pode fornecer um poderoso impulso ao seu sistema imunológico. Os constituintes químicos de um óleo determinam seus benefícios potenciais, quais metabólitos ele produzirá e as melhores formas de aplicação.
Químicos identificaram mais de 3.000 moléculas diferentes em óleos essenciais até o momento. Cada uma dessas fusões de átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio tem suas próprias propriedades únicas. Esses compostos são categorizados com base em sua composição química, que se refere à sua função e atividade fisiológica. Óleos com alto teor de terpenos (terminando em “-eno”) têm propriedades diferentes daqueles ricos em álcoois hidroxilados (terminando em “-ol”) ou fenóis ou ésteres e, portanto, são adequados para diferentes finalidades. A familiaridade com os blocos de construção químicos dos óleos essenciais permite que qualquer usuário pratique a aromaterapia com mais segurança e eficácia.

Um óleo base é uma substância à base de lipídios usada para diluir óleos essenciais.
Os óleos básicos mais populares são os óleos vegetais puros, incluindo óleos de semente de uva, abacate e amêndoa; no entanto, os óleos básicos mais facilmente disponíveis podem ficar rançosos rapidamente. Prefiro o óleo de coco fracionado porque é estável em todas as temperaturas e em todos os ambientes. Também não é aromático e, portanto, não altera as propriedades aromáticas dos óleos essenciais. Muitas pessoas acreditam erroneamente que o uso de óleos básicos de alguma forma reduz a eficácia do óleo essencial, quando na verdade existem muitos benefícios associados à diluição dos óleos. A diluição aumenta a superfície de absorção, melhora a absorção pela pele seca e previne sensibilidades. Nunca é errado diluir, principalmente ao usar óleos com uma química mais potente. Determinar quando e como diluir é uma decisão pessoal que deve ser baseada nas preferências de uso, química do óleo e sensibilidade pessoal.

Para muitos, o valor dos óleos essenciais é compreendido e validado através do uso pessoal. Pode não ser uma questão de qual óleo usar, mas sim determinar como e quanto óleo usar. Os três usos principais incluem aplicação aromática, tópica (na pele) e interna, todos com benefícios documentados. A preferência e a experiência individuais o ajudarão a selecionar o método de aplicação mais adequado para atender às suas necessidades pessoais. Embora os modelos de uso possam variar, descobri que a aplicação consistente é mais eficaz. Eu recomendo usar óleos essenciais em quantidades menores e com mais frequência ao longo do dia, em vez de esporadicamente em grandes quantidades. A consistência de uso ajudará a garantir um efeito duradouro para o máximo benefício.

Há muita informação disponível sobre os óleos essenciais e sua atividade biológica no corpo. Entendemos mais sobre os mecanismos fisiológicos dos óleos essenciais do que nunca. Sabemos que os óleos essenciais são lipossolúveis e, portanto, facilmente absorvidos pelos tecidos da pele e membranas mucosas. A segurança e eficácia de cada método de aplicação é bem validada por evidências científicas. Ao determinar como aplicar um óleo essencial, é importante usar os óleos em um contexto confortável para o usuário. Embora os efeitos possam ser menos pronunciados devido a certos métodos de aplicação, cada método de aplicação tem benefícios poderosos, tanto local quanto sistemicamente.

É um equívoco comum que, quando usamos óleos essenciais, podemos afetar apenas o corpo ou a mente, mas não ambos. Na realidade, quando afetamos um sistema do corpo, os efeitos se estendem sistemicamente. O sistema límbico, também conhecido como centro de controle emocional do corpo, é fundamental quando se trata de aroma porque é facilmente influenciado pelo nosso ambiente. O que provamos, o que vemos, o que ouvimos e principalmente o que cheiramos influencia esse sistema. Parte do sistema límbico é o hipotálamo, que além de regular o sistema límbico também tem ligações diretas com a estimulação neuroquímica em todo o corpo. Então, se cheirarmos o Lavender inalar, não apenas acalmará nosso humor, mas também beneficiará todo o corpo. De longe, a maneira mais rápida de se beneficiar dos efeitos dos óleos essenciais é usá-los aromaticamente, mas não importa como apliquemos os óleos, os efeitos serão de longo alcance.

Um grande benefício dos óleos essenciais é que eles são seguros e eficazes em todas as fases da vida, incluindo a gravidez. Devido à natureza suave e não irritante de muitos óleos essenciais, eles podem ser usados ​​com confiança hoje. Uma consideração importante durante a gravidez é apoiar a função saudável do corpo inteiro. Frankincense suporta a função celular e melhora a saúde geral. * Na minha experiência pode Ginger, Peppermint, Lavender e os óleos cítricos podem ajudar a aliviar problemas relacionados à gravidez, como náusea, desequilíbrio emocional e outros desconfortos comuns. * Também é importante lembrar que muitas mulheres são particularmente sensíveis durante a gravidez. Ajuste de quantidade, métodos de aplicação ou taxas de diluição podem ser necessários para acomodar essas sensibilidades aumentadas.

Assim como podemos classificar os óleos essenciais com base em diferenças químicas, podemos categorizá-los com base em seu aroma. Três grupos principais de aromas são: óleos calmantes/calmantes, óleos energizantes e óleos de aterramento/equilíbrio. O interessante, porém, é que não podemos separar o aroma da química. Ao olhar para os óleos que são energizantes, observamos a interação entre o aroma e a química que permite que esses óleos afetem o corpo sistemicamente.
A difusão de um óleo energizante durante os meses de inverno pode elevar o humor e também pode ser estimulante para outros sistemas do corpo. Os óleos essenciais que se enquadram nesta categoria são aqueles com notas de topo diferentes, como Basil, Lemongrass, Peppermint, Eucalyptus e todos os óleos cítricos. Uma das minhas combinações favoritas é Wild Orange misturado com Peppermint. Esses óleos são usados ​​com mais eficiência em um difusor ou por aplicação na pele.

Uma alergia é o resultado do sistema imunológico erroneamente ver uma substância como prejudicial e produzir anticorpos para combatê-la, resultando em vários efeitos colaterais. Uma reação alérgica a uma planta é causada por materiais proteicos de uma planta (ou seja, a semente, folha ou fruto). Os óleos essenciais puros não contêm essas moléculas complexas, que são a principal causa de alergias. Embora uma reação alérgica seja improvável, isso não significa que se possa usar óleos essenciais de forma irresponsável e sem risco. Compreender o uso adequado de um óleo essencial é sempre recomendado, independentemente das circunstâncias. Se você estiver preocupado com sensibilidades ou interações com outros planos de tratamento, consulte seu médico ou profissional de saúde para obter orientações adicionais.

Carrinho de compras